Como foi a participação da Loja Paraná na IIª SteamCon (2014) (Parte I)

// September 20th, 2014 // Eventos, Loja, Oficina, SteamPunk

 

(Aviso importante: essa será a 1ª de uma série de postagens. Houveram muitas coisas boas, e queremos deixar um registro tão completo quanto possível)

A neblina se aproximava distinta, cobrindo nobres cavalheiros com suas altas cartolas e damas enrubescidas com suas sombrinhas desguarnecidas…

Nos dias 16 e 17 de agosto, ocorreu na bela cidade de Paranapiacaba a IIª STEAMCON, evento nacional para os amantes do steampunk em todas as suas mídias e formatos. E a Loja Paraná do Conselho SteamPunk não podia deixar de estar presente em um evento tão notório, mostrando que o pistão da máquina e o calor do vapor estão trabalhando ao máximo nas frias terras do Sul brasileiro.

Como sempre frisado, o steampunk nacional não apresenta uma centralização ou hierarquias. Cada grupo tem autonomia de gestão e de criação de eventos, o que permite maior liberdade de expressão e configurações, onde os steamers podem demonstrar seus toques locais, suas particularidades, enriquecendo ainda mais as anacrônicas experimentações, e desenvolvimentos regionais. E o II STEAMCON veio com o intuito de unir os mais variados grupos existentes para um único ambiente, propiciando troca de ideias, histórias, vivências e o reconhecimento perante os demais, das várias expressões pelos quais o steampunk nacional vem abrindo caminhos sem par.

Banner de divulgação da IIª SteamCon

Essa foi a segunda edição do evento, confirmando a escolha da Vila de Paranapiacaba (região de Santo André, SP), (e porque não?), como a “capital SteamPunk brasileira”.  Sua origem remonta os tempos áureos das criações de ferrovias por empresas britânicas durante o período imperial. O núcleo original da vila é a estação ferroviária construída aos moldes e modelos ingleses da época vitoriana! Além desses aspectos físicos, por estar no meio de serra paulista, parte da mata atlântica, apresenta uma característica única: uma densa neblina que em nada deve ao “fog” londrino, a ponto de impedir a visão a mais de cinco metros em pleno meio dia! Simplesmente, épico o local!

Um pequeno exemplo da neblina que tomava a cidade. Visibilidade quase zero depois de cinco metros :0

Nessa edição, houveram diversas atrações, cobrindo uma ampla gama dos terrenos pelo qual o steampunk brasileiro está se desenvolvendo. Ocorreram oficinas de pintura e customização de armas; criação de contos; práticas de bartitsu (arte marcial de autodefesa gentlemen) e pasmem, uma oficina de poker. Ocorreram ainda as belíssimas peças teatrais,  “Dom Chicote Mula Manca” e “Cinco Semanas em um Balão”; apresentações de dança como Dança Tribal Fusion Steampunk da bela dançarina Dana Guedes, apresentação de Steam Dance da não menos bela Saille Samara, e a Dança Cigana das especialíssimas Morgana Sirvak e Luciana Shiraishi. Ainda ocorreram as Performance  “Etiquetando um autômato!”;; debates sobre literatura fantástica com autores renomados presentes, moda, música e artes… Tivemos até mesmo um concurso de apresentação steamplay!

O armeiro do grupo do Paraná, o steamer Elton Evaristo, se responsabilizou pela organização da caravana paranaense para que os steamers da região sul pudessem comparecer dignamente ao evento. Não podemos deixar de parabenizá-lo, pois foram muitas correrias com hospedaria, transporte (que quase ficamos na mão, mas nosso bom amigo Elton não desistiu). Ficou firme e forte até o fim, mesmo com o stress da correria. Realizamos uma viagem tranquila via rota litoral, deslumbrando a Serra de Santos (e a belíssima vista proporcionada). Espantamos-nos mais ainda pela chegada na vila, meio fantasmagórica, mas com uma população canina muito dócil e divertida. Nossa viagem aventuresca terminou na Hospedaria Os Memorialistas. Sobre a hospedaria, só temos elogios a tecer, com quartos  confortáveis, limpos e bem cuidados; proprietários muito atenciosos e lutadores, ela ativista de uma ONG local e ele de um humor incomensurável, com certeza, curtiram muito nosso pessoal (mesmo com os estranhos trajes steampunks e maquinarias adaptadas).Destaque para o serviço de café da manhã do local, o qual foi simplesmente esplêndido e sublime, com o MELHOR PÃO DE QUEIJO DO UNIVERSO!

Pousada Os Memorialistas: Quartel de campanha do CSP-PR na SteamCon.

Instalamo-nos, e já partimos a conhecer a cidade. Percebemos que a sorte nos acompanhava, pois a hospedaria ficava próxima aos principais locais do evento, como a Associação Lira Serrano (sede das exposições, palestras, e comércio especializado), Mercado Municipal (sede das oficinas e duelos de Nerfs), e das várias máquinas ferroviárias antigas expostas nos terrenos próximos às linhas de trem.

Elton, O Maquinista

Vagões

Relógio da Vila

Na Associação Lira Serrano ocorreram as principais atividades do encontro. No salão de entrada, localizavam-se diversas estandes de vendas de livros e acessórios steampunks/nerds/geeks: Portal a Vapor, Vapor Fashion, Sergio Cosmaker, Ideia Promocional, CAN, Miss Petrova, Leviathan Quinquilharias, Miss Stardust, The Suns, Kält’s Store, Geeks and Sweets, Trapezia. 

Um dos momentos mais “parados” nos estandes dos “Mercadores do Vapor”

Existiam muitas coisas interessantes, e com preços bem convidativos no comércio montado exclusivamente para o evento.  No sagão de entrada do salão também se encontrava a exposição Vermelho Steam, feitas por vários artífices paulistas, com belíssimas peças de esculturas, quadros, móbiles, sinos e um tapete exclusivo com temas steampunks. Além das exposições de Ju Violeta, e Bquick. No espaço do Mercado Municipal, tivemos a exposição do Freakshow do Dr. Absonus, aliás exposição que elevou o evento aos rincões internacionais. Parabéns ao Rodrigo Absonus Peixoto e sua família steamer pela bela e tétrica ideia magistral circense. A exposição contou com peças exclusivas lembrando os famigerados elementos bizarros dos circos europeus de séculos passados.

Musa BioMekanica

No palco do salão principal ocorreram apresentações de dança, debates com Dana Guedes (escritora SteamPunk), Bruno Accioly (fundador do movimento SteamPunk no Brasil), Carlos A. Machado (Capitão Escarlate), Álvaro Domingues (escritor de ficção científica e fantasia), Gianpaolo Celli, Álvaro Domingues, Enéias Tavares, mediados pelo nobre Cândido Ruiz também escritor StemPunk e membro fundador da Loja São Paulo do Conselho SteamPunk, e as palestras feitas por Edson Camargo e Cecília Camargo; Lord A; Aline Dalla Vecchia; Rommel Werneck, Freon Heart e Fabio Melo; participantes do bate papo: Carlos Alberto Machado, Bruno Accioly, Dana Guedes, ; oficinas com Capitão Escarlate, Fernão de Quintana, Cândido Ruiz, Álvaro Domingues; às dançarinas Dana Guedes, Saille Samarah, Morgana e Luciana Shiraishi. Enquanto isso, no piso superior, diversas salas foram utilizadas para RPG, em especial o Castelo Folkenstein.

Programação de sabado, 16, durante o dia

Programação de sabado, 16, durante a noite

Programação de domingo, 17.

Bom, essa é só a 1ª postagem, de uma longa série de postagens, e achamos que para uma primeira injeção de vapor, as caldeiras estão bem abastecidas. Nas próximas postagens, iremos desbravar como foram os 2 dias imersos em Vapor, engrenagens, máquinas fantásticas e pessoas ainda mais incríveis! Não percam 😀

Fogo na Caldeira e Asas à Imaginação \o/ !!!

One Response to “Como foi a participação da Loja Paraná na IIª SteamCon (2014) (Parte I)”

  1. Everett says:

    Buena?
    Reconozco que hasta ahora no me gustsba muho elblog, pero ultimamente
    estoy sig?iendolo mas veces y esta mejorando.
    😉

Leave a Reply


Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/designio/public_html/pr/wp-content/plugins/all-in-one-seo-pack/aioseop_class.php:3954) in /home/designio/public_html/pr/wp-content/themes/irresistible/set.php on line 1